A Nangara é a união de duas palavras do Tupi-Guarani, que significam semelhança.

"Nunca o homem inventará nada mais simples nem nada mais belo do que uma manifestação da natureza". Leonardo da Vinci


O vínculo existente entre o homem e a natureza faz deles um só. Estão conectados, em sintonia, onde um é o reflexo do outro. A natureza nem sempre é previsível, nos surpreendendo a cada dia com sua força ativa. Solidária, nos oferece as mas belas criações para compormos nossa arte. A Nangara tem como propósito embelezar o reflexo daqueles que a usam ao mesmo tempo que reflete o cuidado e preocupação com a Natureza.

Nossas peças são de alto padrão, confeccionadas com fios de seda e algodão, pedras, madrepérolas, casca de coco, madeira, entre outros materiais. Desta forma, elas serão sempre exclusivas, pois a natureza em seu capricho nunca faz duas pedras iguais, e cada peça em madeira ou coco é esculpida a mão. Os fios de seda utilizados na confecção das peças são feitos artesanalmente a partir de casulos rejeitados e descartados pela indústria, tendo como parâmetros concepções sedimentadas no naturalismo, reciclagem e compromisso social. São tingidos com cortantes vegetais como cebola, pinhão, mate, café, eucalipto entre outros, resultando em fios de seda pura de alta qualidade. Algumas cores não são possíveis com esse tipo de material, e para tal foram desenvolvidos corantes especiais, menos agressivos ao meio ambiente.

As madeiras utilizadas são nobres, como ébano, itaúba, pau marfim, cedro, amescla, entre outras, porém sempre respeitando a natureza. São madeiras especiais, sobras de luthieria, ou colhidas em praias, trazidas pelo mar, outras são sobras de construções e movelaria, todas esculpidas a mão.

As pedras, em seus diferentes formatos e colorações, tanto naturais quanto lapidadas, dão às peças um toque especial. Muitas pessoas acreditam que as pedras tem força própria, além de serem amuletos de sorte e cura. Esculpidas pela mãe natureza, são símbolos da perfeição.

Nangara is the union of two words of Tupi-Guarani language, which means similarity.

"Man will never invent nothing simpler and nothing more beautiful than a manifestation of nature". Leonardo da Vinci

The bond between man and nature makes them one. Are connected in line, which is a reflection of the other. Nature is not always predictable, surprising us every day with his active force. Solidarity gives us the most beautiful creations to compose our art. The Nangara aims: to beautify the reflection of those who use, the same time that reflects the care and concern for nature.

Nangara products are made of high standard with silk threads, stones, mother of pearl, coconut shell, wood, among other noble and natural materials. Thus, they will always be unique because the nature of his caprice does not equal two stones, and each piece of wood or coconut is hand carved, they are special pieces that will last the wearer a lifetime.

Our inspiration comes in infinite ways. As the Brazilian Indian tribes, nature, textures and other works of art, we are always innovating.

The silk used in the manufacture of Nangara products are handmade from discarded cocoons or unfit for the industry, with the parameters sedimented conceptions of naturalism, recycling and social commitment. They are colored with vegetable dyes such as onion skin, pine bark, mate, coffee, eucalyptus and others, resulting in pure silk of high quality. Some colors are not possible with this type of material, and dyes have been developed for such specialty chemicals, not harmful to the environment.

The woods used are noble as ebony , itauba, ivory wood, cedar, among others but always respecting nature. Woods are harvested on beaches, brought by sea, remains of luthiers' work, buildings or the reuse of furniture, all carved by hand.

The stones, in their different shapes and colors, both natural and polished pieces to give a special touch. Many people believe that the stones have their own strength and are lucky charms and healing. Carved by Mother Nature, are symbols of perfection.